Página inicialDicas úteisCadastre-se, é gratuito!Boletins do ano anterior

 

   Artigos nesta página:

1 - Mesoterapia em estética
2 - Dermatite Herpetiforme
 


voltar ao início da página
MESOTERAPIA EM ESTÉTICA

Definição:
Método terapêutico francês que se baseia na administração intradérmica de medicamentos, próxima ao sítio o qual queremos tratar, aumentando assim a eficácia do tratamento.

Algumas aplicações em estética:
- Celulite
- Gordura localizada
- Estrias

Freqüência do tratamento:
01 sessão semanal, 8 a 10 sessões

Substâncias utilizadas:
Mesocaína - Anestésico local, modificado para uso em mesoterapia. Além disso, possui também efeito vasodilatador, o que auxilia no tratamento da celulite.
Melilotus - Possui ação vasodilatadora, auxiliando a drenagem linfática e reduzindo o excesso de líquido presente ao redor das células em locais onde há celulite.
Rutina ( Gingko Biloba) - Possui ação anti-radicais livres, tendo também leve efeito vasodilatador.
Alcachofra - Droga vasodilatadora, atua também reduzindo o extravasamento  de líquido que ocorre nas áreas celulíticas devido à fibrose e ao aumento de pressão capilar
Ácido Glicólico - Usado com muita freqüência nos tratamentos estéticos, este alfahidroxiácido é capaz de atuar na epiderme, gerando uma normalização e regeneração, como na derme, estimulando a síntese de colágeno.
Vitamina C - Sua aplicação principal é nas estrias, já que é uma estimuladora importante da síntese de colágeno, funcionando também como droga anti-radicais livres.
Tiratricol (Triac) - Similar a um hormônio produzido normalmente pela glândula tireóide, deve ser usado com cautela. Porém representa uma arma muito eficaz no tratamento da gordura localizada.
Ioimbina - Droga capaz de estimular a queima de gordura, atuando diretamente nas células gordurosas estimulando o seu metabolismo.
Conjonctyl (Trissilinol) - Este fármaco possui papel destacado na normalização do tecido acometido por fibrose e esclerose (redução da vascularização), podendo assim ser utilizado tanto na terapêutica da celulite como para estrias.
 


voltar ao início da página
DERMATITE HERPETIFORME

O que é dermatite herpetiforme?

A dermatite herpetiforme é uma doença de curso crônico que se caracteriza pelas lesões que ocorrem na pele. Estas são, em geral, eritematosas (avermelhadas), papulosas (discretamente elevadas), com vesículas (pequenas  bolhas). Geralmente coçam e ocorrem nas regiões extensoras (região posterior dos braços e anterior das pernas), de forma simétrica. A doença pode se iniciar em qualquer idade, incluindo na infância, porém o mais comum é que se inicie na 2a, 3a ou 4a décadas.

Como ocorre?

Na verdade, não se sabe exatamente o que inicia a doença. O que se observa é uma reação do sistema imunológico contra uma região da pele, o que leva ao surgimento das lesões.
Uma proteína presente em vários cereais (trigo, aveia e cevada) possui um papel importante no desencadeamento desta doença. A maior parte dos pacientes portadores de dermatite herpetiforme possui uma alteração no intestino que indica uma destruição pelo sistema imune, similar àquela que ocorre na pele. Esta alteração intestinal pode ser provocada experimentalmente nestes pacientes, quando os submetemos a uma dieta rica em  glúten . Não se sabe exatamente qual a relação destes achados com a doença da pele, porém em muitos pacientes com dermatite herpetiforme (DH), há uma melhora grande das lesões quando estes seguem uma dieta sem glúten.

Quem possui maior risco de apresentar esta doença?

Embora encontre-se alguns genes com maior freqúência nos pacientes portadores de DH, esta doença não possui relação familiar. É relativamente rara, variando sua prevalência (quantidade total  de  casos em determinado momento) entre 10 e 39 casos  por 100.000 habitantes, em populações de raça caucasiana.

Há algum cuidado  que deva ser tomado para evitar a  sua transmissão?

Não há cuidados a serem tomados, pois esta é uma doença não-contagiosa. Quanto à transmissão genética, não há relatos de que haja um risco maior para descendentes de portadores desta doença.

Qual o tratamento?

O tratamento mais comumente utilizado, e que é capaz de induzir uma remissão das lesões na maior parte dos pacientes é a dapsona (diamino, dimetil-sulfona), que é um medicamento à base de sulfa. Não se descobriu até hoje tratamento mais eficaz que esta droga, que muitas vezes deve ser tomada  por longos períodos de tempo. Outras medicações como a colchicina são tentadas eventualmente em  pacientes que não respondem à dapsona.

Existe cura para esta doença?

Muitos pacientes que seguem uma dieta sem glúten conseguem períodos prolongados de inatividade da doença. O mesmo ocorre com aqueles em uso de dapsona. Porém, com a interrupção da medicação ou o retorno a uma dieta normal, a doença recidiva. Esta recidiva é imprevisível, isto é, pode não ocorrer logo  após a suspensão do tratamento. Por isso a dermatite herpetiforme é considerada uma doença crônica, para a qual não há uma cura conhecida.

 voltar ao início da página

Perguntas, fale conosco: web@derme.org  Sugestões são bem vindas.