O que é o ceratoacantoma?

O que é o ceratoacantoma?

É um tipo de câncer de pele que possui um aspecto de vulcão.


 

Onde surge esta lesão?

Muitas vezes ele se inicia em um local de uma lesão menor da pele, principalmente em locais em que tenha sido previamente danificada pelo Sol. Ele cresce rapidamente, e muitas vezes chega a 2 cm de diâmetro. Esta lesão é uma das que cresce mais rápido na pele.

Qual a causa desta lesão?

O passado de exposicão solar certamente possui um papel importante. Aparentemente os ceratoacantomas surgem a partir de um folículo piloso, assim só podem surgir na pele que possui pelos - não surgem nas palmas, por exemplo. Um pequeno machucado parece ser necessário para desencadear um ceratoacantoma, mas frequentemente não é aparente ou não é lembrado pelo paciente. As células do folículo começam a se multiplicar, e a massa de células cresce para se transformar em um ceratoacantoma.

Como evolui este tumor?

Quando não tratado, um ceratoacantoma vai crescer por vários meses, atingir um tamanho máximo, e então regredirá sozinho em alguns meses. Devido a este padrão de auto-cicatrizacão, muitas vezes não é considerado um cancer de pele. O problema é que o ceratoacantoma pode ter o aspecto idêntico ao do carcinoma espinocelular, ou de um carcinoma basocelular.

Quais os tipos de tratamento disponíveis? É indispensável tratar esta lesão uma vez que ela regride por si só?

Geralmente se aconselha que os ceratoacantomas devem ser tratados por várias razões. Primeiro, não é sempre possível determinar que a lesão seja um ceratoacantoma e não um câncer de pele verdadeiro. Segundo, os pacientes desejam se livrar desta lesão esteticamente desagradável, frequentemente dolorosa e preocupante, o mais rápido possível. Finalmente, a cicatriz que resulta do tratamento do ceratoacantoma é mais discreta que aquela que resulta da cicatrizacão espontânea.

As opcões de tratamento incluem:

Criocirurgia - se for uma lesão pequena pode ser tratada por congelamento - usualmente com um spray de nitrogênio líquido. Após a aplicacão o local tratado vai inchar, pode ou não se formar uma bolha, que então seca para formar uma crosta que leva aproximadamente 2 semanas para cair, ou mais tempo se for nos membros.

Eletrocoagulacão e curetagem - algumas vezes é utilizada para lesões mais espessas. Após anestesia local, a lesão é raspada com uma colher áspera. A base é cauterizada com o bisturi elétrico. Após  isto a cicatrizacão é usualmente rápida e a crosta cai em 3 semanas para deixar uma cicatriz levemente deprimida, rósea a púrpura. Esta cicatriz então se torna mais clara e remodela para deixar um resultado cosmético muito aceitável. A cicatrização demora mais em lesões maiores e nos membros inferiores onde pode levar até 2 meses.

Exerése - este é um outro método comumente utilizado para remover o ceratoacantoma. Após anestesia local, a área afetada é cortada em uma elipse assegurando a remocão total. Os pontos são retirrados em uma semana, deixando uma cicatriz linear.

Radioterapia - Algumas vezes, um grande ceratoacantoma é tratado pela radioterapia. Várias visitas em um intervalo de dias são necessárias. O tratamento é indolor. Uma crosta então se forma, que cai após várias semanas.

Há necessidade de acompanhamento?

Normalmente não há nenhum tipo de problema no ceratoacantoma após o tratamento. Raramente uma recorrência ocorrerá, usualmente na berada da cicitriz. Neste caso a lesão pode ser facilmente retratada, usualmente pelo mesmo método.
No caso de alguma suspeita de carcinoma basocelular ou espinocelular, uma biópsia deverá ser realizada antes do tratamento definitivo.

Os pacientes com história de ceratoacantoma apresentam risco aumentado para outros cânceres de pele, e devem procurar o seu médico imediatamente se desenvolverem qualquer nova lesão ou úlcera que não cicatrize.


Copyright: New Zealand Dermatological Society