Queda de cabelo

Intradermoterapia Capilar: Nova Arma no Combate à Queda de Cabelos

Uma perda intensa de cabelos, que ultrapasse a média de 70 a 100 fios por dia, pode significar que a pessoa sofre de alopécia androgenética (AGA), nome dado à calvície, que pode atingir jovens a partir de 18 anos.
No caso de predisposição genética a maior perda de cabelos acontece entre o final da adolescência e os 30 anos. Iniciando o tratamento nesse período, as chances de um resultado satisfatório e de se evitar a calvície são maiores, pois ainda há tempo de “salvar” alguns folículos pilosos visto que após muito tempo inativos, os folículos não voltam a produzir pêlos, independentemente do medicamento que se utilize.Quando os folículos ainda estão saudáveis, utiliza-se medicamentos que inibem a ação da 5-reductase, enzima que converte a testosterona em DHT, o hormônio responsável pelo afinamento e queda dos cabelos que se estende além dos limites fisiológicos desenvolvendo, no correr dos anos, progressivo estados de alopécia.

No caso de homens com alopécia androgenética, há vários medicamentos que podem ser utilizados com eficácia antes que os folículos se inativem permanentementec. No mercado,estão disponíveis a finasterida, o minoxidil e o 17-alfa-estradiol, que podem ser usados separadamente ou em associação.
As mulheres podem fazer uso do minoxidil, e do 17-alfa-estradiol, , mas a finasterida não deve ser usada, porque pode causar problemas de fertilidade.
Uma novidade no tratamento da alopecia androgenética é a intradermoterapia que consiste na introdução, através de injeções no couro cabeludo, de substâncias que vão tratar a queda de cabelos e estimular o crescimento de novos fios.
Considerando que a queda dos cabelos é dependente das concentrações locais de DHT, é lógico que se empregue, por via intradérmica, substâncias que bloqueiem a formação da DHT diretamente no couro cabeludo.
O uso da finasterida por essa via reduz a DHT em aproximadamente 70% após 10 sessões. Após 4 meses de tratamento obtém-se uma ótima repilação, ou seja além de reduzir a queda voltam a crescer fios nas área tratadas.
Também são associadas substancias que melhoram a circulação no couro cabeludo e agentes antiseborréicos.
Em geral realiza-se 10 sessões com intervalo de 1 semana seguidas de 5 sessões com intervalo de 15 dias e depois aplicações de manutenção mensais.
A intradermoterapia pode ser utilizada isoladamente ou combinada a tratamentos por via oral ou tópica.


resultado obtido após 5 e 10 sessões de intradermoterapia.